quinta-feira, abril 22

Pat & Stanley 

 



Tenho de vos dizer que adoro este hipópotamo, gosto tanto que até já digo hipópotamo quase bem, digo assim: hipopoti, e olhem que é uma palavra dificíl!!

Há um destes filmes que adoro ver, que é o hipópotamo a cantar uma música do Rei Leão e o Cão acompanha com passos de dança.
Só tenho pena dos meus pais, que já não podem ouvir aquilo (hehehehe), mas é verdade que até acho piadinha a chatea-los um bocadinho. :)

Vá, vão lá ver isto que vale a pena.

feito por Conchinha por volta das 12:29 |


sábado, abril 17

Agradecimento Luminoso 

 

Aconteceu. O nosso apelo finalmente encontrou eco, e uma portentosa fonte socorreu-nos. Com a sua preciosa ajuda, conseguimos encontrar quem adoptasse a nossa Flea - a quem naturalmente também dirigimos um profundo agradecimento e dedicamos voto de muitas felicidades - e, pese embora o desgosto da separação, um enorme alívio poderemos sentir agora, já que o meu mano pode por fim preparar-se para fazer os exames que tanto necessita.
Por tudo isto, todos cá em casa dão um beijinho de agradecimento muuuuito grande à Luz e aqui deixamos uma fotografia que simboliza a forma como a vemos.




feito por Conchinha por volta das 17:39 |


sábado, abril 10

Descobertas 

 

Não sei se é habitual os bebés lembrarem-se dos seus sonhos, mas eu até sou bastante desembaraçada e acabei de saltar da cama, vinda da sesta da tarde, e antes que me esqueça vou contar-vos tudo.
No meu sonho havia um menino. Era um menino cheio de amigos daqueles que não falam connosco, mas que fazem muita companhia.
Um pássaro que o visitava pela manhã, trinando alegremente as boas novas, contou ao menino que existia longe dali uma ilha onde o sol nunca se punha. O menino gostou muito do que ouviu, e sorriu ao imaginar-se a passar uma tarde eterna espreguiçando-se ao sol, sentindo a leve brisa e cheirando o ar do mar. O pássaro explicou-lhe, então, que podia ensiná-lo a construir um barco para navegar até lá. E assim fizeram.
Como isto dos sonhos é bastante confuso, mal começaram a construir o barco já ele ficou pronto, e o menino despediu-se do seu melhor amigo, o cão, e fez-se ao mar, seguindo atentamente o passaroco, que, ao longe, indicava o caminho.
Com a brisa agradável que se fazia sentir quase nem foi preciso usar os remos, que o menino não gostava, por serem tão pesados, e assim as mãos ficavam livres para segurar no telescópio. É que o pássaro voava muito alto, e cheio de pressa, em direcção à ilha onde o sol nunca se põe.
Em menos de nada, chegaram. A ilha era maravilhosa: nem grande de mais, nem pequena de mais; nem muito quente nem muito ventosa; o menino deitou-se e ficou a observar as sombras, para confirmar se não se mexiam.
Tanto fixou o seu olhar, que acabou por adormecer, nem reparando que não estava sozinho. Um outro menino dormia ali ao pé dele. E quando acordou, o sol lá estava, no mesmo sítio. A brisa soprava exactamente da mesma maneira, o calor na pele na mesma medida, tudo igualmente perfeito como quando se deixara dormir. Aí reparou na sua companhia; levantou-se e dirigiu-se ao outro menino, que ali aparecera. «Gostas da minha ilha?», perguntou o outro. O menino disse que sim, que gostava muito, e perguntou-lhe se aquela ilha era mesmo dele. «Eu sempre aqui morei. É a minha casa, por isso digo que é minha», foi a resposta.
«Então nunca viste a Lua cintilar no céu estrelado, quando é noite, pois não?», perguntou o menino que tinha ido de barco. «Não, nunca vi!», disse o outro menino sorrindo com entusiasmo. «Levas-me para ver?», teve de perguntar. «É claro! O meu barco é muito bom, e cabemos os dois à vontade. Anda daí!».
Foi quando os dois, guiados pelo pássaro, se aproximavam do continente, contando histórias de aventuras passadas um ao outro, que acordei e fiquei um pouco calada, tentando conservar o mais possível a imagem que me ficou daquela lua, tão bonita, que se via tão bem porque o sol já se tinha deitado.

feito por Conchinha por volta das 17:36 |


sexta-feira, abril 9

Ajudem-nos, Por Favor 

 

Já aqui mostrei a nossa gata, a Flea, que está connosco desde sempre. Quero dizer, quando eu nasci ela já cá morava, e dizem-me que quando o meu mano nasceu, também. Acho que ela nasceu um mês antes, ou assim. Mas o que eu não disse ainda é que não podemos tê-la mais tempo, o que nos entristece imenso mas é quase impossível de contornar. É que o meu mano infelizmente tem um problema renal que não tem cura conhecida, ainda, e há uns tempos os médicos disseram que ele deveria fazer umas análises e uns testes mais exaustivos, mas que a existência de animais domésticos por perto poderia interferir com a leitura das análises. Foi por isso que decidimos, com grande constrangimento, dar a nossa Flea para adopção. Pusémos este anúncio na internet e agora temos de contar com alguém que a queira acolher. Podem ajudar-nos?

feito por Conchinha por volta das 11:18 |


terça-feira, abril 6

Projectos 

 

No fim-de-semana passado entrou-me pela porta o meu webmássta, o Badalo, artilhado com gravadores e com blocos-notas. Disse que vinha entrevistar-me e que se eu quisesse depois poderia publicar a entrevista aqui no meu blog. O texto que se segue, é, pois, uma fiel reprodução do que se passou.

Badalo - Então, Bananito, 'tás bom?
Bananito - 'Tou.

(pausa)

Badalo - Olha... tudo bem?
Bananito - Sim! 'Tás surdo?
Badalo - Bom, por acaso, agora que falas nisso, o meu ouvido direito...

(começa a jogar com o GameBoy)

Badalo - Não queres responder?
Bananito - Responder a quê?
Badalo - ... às minhas perguntas...
Bananito - Estou a responder!
Badalo - Bom, bom. Diz-me cá... Como surgiu a ideia de fazeres um blogue, tu e a tua irmã?
Bananito - Ideia?
Badalo - Sim, a ideia. Como foi? Tenho a certeza de que há uma história gira por detrás disso...
Bananito - Ah, é? Não sabia! Conta lá!
Badalo - Não, não! Eu é que estou a perguntar!
Bananito - A perguntar? Põe lá a cassette para trás. Tu é que disseste que há uma história gira... Eu gosto de histórias giras... Conta, vá!
Badalo - Bom, eu estava só a dizer que... deixa lá. Que projectos têm para a vossa página?
Bananito - Projectos? O que é isso?
Badalo - Bem, um projecto é uma coisa que queremos fazer, mas só temos uma ideia.
Bananito - Ah.
Badalo - E então?
Bananito - E então o quê?
Badalo - Os vossos projectos, quais são?
Bananito - Não sei. Posso comer mais bolo?
Badalo - Podes, mas não comes mais nada até ao jantar.
Bananito - 'Tá bem.

feito por Bananito por volta das 18:33 |


domingo, abril 4

Esclarecimentos 

 

Para além das cartinhas a que já me referi, a barafustarem por este blog não ter maior cadência de publicação de escritos, sobram na nossa escrivaninha pedidos de esclarecimento sobre o suposto subtítulo da nossa página "Atirei o Pau ao Ga-Tum!-Tum!". Numa delas até se pergunta: «que cargas d'água quer dizer?!?».
Pois hoje, enquanto os meus pais ainda dormem (eu levantei-me à socapa pois já arranjei expediente para me escapulir da cama de grades sem eles saberem), resolvi vir aqui para o computador contar-vos a respectiva origem.

Ora quando era mais nova, há muiitos e muuuuuitos dias, e comecei a dizer a primeiras palavras (ainda vou nas segundas, hihihi), ensinaram-me a dizer "gato" mas eu só me saía com "gá-tmm" (ou, mais tarde, gá-tum). Desta forma, ao aprender a cantar o "atirei o pau ao gato" (a minha primeira canção) os camelos do meu mano e do meu pai passaram a cantar "aaaatirei o pau ao gá-tum!-tum!, mazu gá-tum!-tum!..." só para troçarem de mim... São muito maus. :D Mas eu adoro-os na mesma.

Aproveito o ensejo para mostrar a gata que mora cá connosco. Não é gira?



feito por Conchinha por volta das 09:52 |


Detalhes 

 

O meu pai é um artista! Vêde bem o que é capaz de fazer com uma máquina fotográfica e com um bocadinho de mim, quando era muuuito pequenina.



feito por Conchinha por volta das 09:45 |


quinta-feira, abril 1

Tempus Fugit 

 

Temos recebido na nossa escrivaninha imensas reclamações dos leitores por causa da fraca cadência de publicação de posts novos aqui no bAtAtAs FrItAs (algumas delas muito malcriadas, safa!!) e eu lamento não ter mais desembaraço a escrever coisas giras e a arranjar fotografias minhas e do meu mano para que nos possam ver nas nossas tropelias, mas faço o melhor que posso e lembro que só tenho dois anos e tal e sou espanholita que me farto e acima de tudo agora qué chuculátiiiii!! Tchááu!!

feito por Conchinha por volta das 12:46 |


 

Conchinha não consegue
cantar o Noddy
:

Estamos Cá Desde

  • Março 2004
  • Abril 2004
  • Maio 2004
  • Junho 2004
  • Julho 2004
  • Agosto 2004
  • Setembro 2004
  • Outubro 2004
  • Novembro 2004
  • Dezembro 2004
  • Janeiro 2005
  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Outubro 2006
  • Às Vezes Espiamos:

    Gandas Malucos
    Coração de Manteiga Mais Sisudo
    A Tia Robina
    O Tio da Índia
    A Tia Luzinha
    A Tia Fata
    A Tia Duende
    Viver a Vida

    Os Pequenitos:

    100 Nada
    2 Miminhos
    ABC dos Miúdos
    A Familia Pipoca
    A Leste do Paraiso
    A Minha Luz
    As Aventuras da Marta
    Avena
    A Ervilha Cor-de-Rosa
    By the Ocean
    Bichinho Feio
    Cirandinha
    Costinhas e não só
    O Ervilho
    Filhos
    Fraldas & Cia.
    Histórias da Dani
    Histórias da Mamã
    Lyrae's World
    Maezite
    Mamãããã!!!!
    Mãe Galinha
    Mamããã...goto de ti!
    O Meu Filho e Eu
    Mi Mama Me Mima
    Nove Meses
    O Dia a Dia
    O Nosso Biscoito
    Para ti, Bébe
    Passeai, Flores
    Rabujices
    Reunião de Pais
    Sapinho Gordo
    Todas as Cores
    Trocas & Baldrocas
    Tudo menos Política
    Um Pouco Mais de Ti
    Vida de Pais
    Xilileca & Pacacete

    Chupa-Chupas

    Crianças Criativas:




    E-Mail

    Powered by
    Blogger

    Powered by Blogger


    Template por
    webmássta Badalo